Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

http://osbastidoresdavida.blogs.sapo.pt

Decoração . Arquitetura . Design . Inspiração

Uma capela com vista para o mar

No meu último ano de faculdade, um dos projetos pedidos foi uma capela no cais de Porto Brandão (margem sul do Tejo). Não sendo eu católica nem de qualquer religião em particular, a minha primeira reação foi: como é que eu vou descalçar esta bota se mal entro numa igreja. O projeto decorreu com entusiasmo, afinal não seria mais do que um espaço de introspeção, de encontro, de honestidade e despojo, e disso eu entendia. A capela acabou por ser um dos meus dois melhores projectos de todo o meu percurso académico.

Hoje trago esta capela que muito me fez retroceder na minha história de vida. Uma pequena capela na praia, o mesmo decoro exterior e igual subtileza interior que, há quase 16 anos, conferi à capela que projetei para um trabalho de faculdade.

3015178_Vector-Architects--chapel-by-the-beach-11.

3015172_Vector-Architects--chapel-by-the-beach-5.j

Todas as imagens | all images: Architectural Review

É em Nandaihe, na China, que se hergue esta pequena capela desenhada por Vector Architects de Pequim. Ao contrário dos vários edifícios do genéro, dotados de uma certa austeridade e autoridade, esta capela destaca-se totalmente do contexto religioso que nos foi sendo imposto ao longo dos séculos. Este é um edifício belo por excelência, uma obra de arte acente mesmo acima do nível da água permitindo que a maré inunde o piso terreo exposto. Esta pequena igreja está a algumas centenas de metros da Seashore Library  também por eles projectada na mesma orla costeira.

 

Section_660.jpg

A entrada para a capela faz-se por uma longa escadaria de betão, dando-lhe continuidade, uma plataforma suspensa rompe a praia em direção ao mar. À distância, o edifício parece estar situado nas margens com o dramático cenário do Golfo de Bohai de fundo. Apesar do aparente bloco maciço de betão que forma a capela e a enorme escadaria, em nenhum momento é-nos privado o contacto com a paisagem marítima. As amplas escadas foram rompidas para dar lugar a uma espécie de janela para o mar, uma abertura rasgada na escadaria que permite ao visitante manter uma visão constante do mar em frente, uma forma muito chinesa de moldar a paisagem.

3015179_Vector-Architects--Chapel-on-the-beach.jpg

3015180_Vector-Architects--Chapel-on-the-beach3.jp

No interior o contacto com o mar e a praia é constante. Depurado e luminoso, este espaço de culto elogia a natureza em cada rasgo infringido no betão. Impossível não se sentir paz interior numa contemplação tão generosa do horizonte.

3 comentários

Comentar post

Arquivo